fbpx

Demanda no mercado de trabalho para o cargo

Técnico em Segurança no Trabalho é um cargo que está com altíssima demanda no mercado de trabalho na região de Araras nos últimos meses.

No período de Março de 2020 a Fevereiro de 2021, tivemos uma aumento de 54.55% nas contratações formais com carteira assinada em regime integral de trabalho.

Continue lendo e confira a mais completa pesquisa salarial gratuita para o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho segundo levantamento do Salario.com.br junto a dados salariais oficiais do CAGED.

Salário e carga horária

Um Técnico em Segurança no Trabalho trabalhando na região de Araras, SP ganha entre R$ 3.284,47 (média do piso salarial 2021 de acordos, convenções coletivas e dissídios) e o teto salarial de R$ 5.875,33, sendo que a média salarial fica em R$ 3.598,67 para uma jornada de trabalho de 43 horas semanais.

Esses dados são de acordo com pesquisa do Salario.com.br junto a dados oficiais divulgados do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web pela Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE) com uma amostragem de 693 salários de profissionais admitidos e desligados oficialmente pelas empresas.

O cargo de Técnico em Segurança no Trabalho CBO 3516-05 trabalhando na região de Araras, tem um perfil profissional médio de um trabalhador com 33 anosensino médio completo, que trabalha 44h por semana. 

Principais funções do Técnico em Segurança do Trabalho CBO 3516-05 são:

  • Implementar intercâmbio entre equipes técnicas;
  • Demonstrar capacidade de atentar a detalhes;
  • Avaliar o ambiente de trabalho;
  • Demonstrar capacidade de comunicação;
  • Verificar implementação de ações preventivas e corretivas;
  • Participar de ações emergenciais;
  • Validar indicadores de eficiência e eficácia;
  • Elaborar programas preventivos e/ou corretivos;
  • Coordenar equipes multidisciplinares;
  • Demonstrar capacidade de discernimento;
  • Utilizar métodos e técnicas de comunicação;
  • Adotar metodologia de pesquisas quantitativas e qualitativas;
  • Trabalhar sob pressão;
  • Elaborar cronograma de ações educativas de segurança e saúde do trabalho;
  • Realizar inspeção;
  • Propor recomendações técnicas;
  • Avaliar procedimentos de atendimentos emergenciais;
  • Comparar a situação atual com a legislação;
  • Trabalhar em equipe;
  • Determinar causas de acidentes;
  • Adequar a política de sst às disposições legais;
  • Demonstrar capacidade de nexo causal;
  • Planejar a política de saúde e segurança do trabalho;
  • Utilizar metodologia científica para avaliação;
  • Registrar procedimentos técnicos;
  • Estudar a relação entre as ocupações dos espaços físicos com o desenvolvimento sustentável;
  • Estabelecer programas, projetos e procedimentos de melhoria;
  • Identificar a política administrativa da instituição;
  • Orientar as partes em sst;
  • Difundir informações;
  • Tomar decisões;
  • Controlar atualização de documentos, normas e legislação;
  • Atualizar registros;
  • Assessorar nas negociações;
  • Demonstrar capacidade de negociação;
  • Elaborar relatório de acidente de trabalho;
  • Administrar dificuldades de implantação;
  • Participar de perícias e fiscalizações;
  • Supervisionar procedimentos técnicos;
  • Avaliar os referenciais legais da política a ser implantada;
  • Gerenciar a aplicação da política de sst;
  • Participar dos programas de humanização do ambiente de trabalho;
  • Orientar órgãos públicos e comunidade para o atendimento de emergências ambientais;
  • Demonstrar visão sistêmica;
  • Diagnosticar condições gerais da área de sst;
  • Avaliar o desempenho do sistema;
  • Identificar indicadores para replanejamento do sistema;
  • Demonstrar atitude proativa;
  • Estabelecer formas de controle dos riscos associados;
  • Analisar causas de acidentes;
  • Alimentar rede de informações;
  • Implementar programas preventivos e/ou corretivos;
  • Promover reuniões com as contratadas;
  • Divulgar a política na instituição ou empresa;
  • Elaborar normas de procedimentos técnicos e administrativos;
  • Promover ação conjunta com a área de saúde;
  • Elaborar recursos e materiais didáticos de ações educativas de segurança e saúde;
  • Administrar conflitos;
  • Verificar eficácia das recomendações;
  • Avaliar impacto da adoção;
  • Delegar atribuições;
  • Gerar relatórios de resultados;
  • Identificar perdas decorrentes do acidente;
  • Mostrar impacto na segurança do trabalhador na implantação da política;
  • Emitir parecer sobre equipamentos, máquinas e processos;
  • Avaliar as atividades da organização versus os programas oficiais de sst e outros;
  • Identificar as necessidades educativas em sst;
  • Promover ações educativas em sst;
  • Desenvolver sistema de gestão de sst;
  • Interpretar indicadores de eficiência e eficácia dos programas implantados;
  • Estabelecer mecanismos de intervenção;
  • Realizar análise preliminar de risco (apr);
  • Elaborar manual do sistema de gestão de sst;
  • Documentar procedimentos e normas de sistemas de segurança;
  • Selecionar metodologia para investigação de acidentes;
  • Implantar procedimentos técnicos e administrativos;
  • Demonstrar capacidade de observação técnica;
  • Analisar tecnicamente as condições ambientais de trabalho;
  • Negociar a aplicabilidade da política;
  • Organizar banco de dados;
  • Verificar o nível de atendimento e perspectivas de avanço;
  • Revisar documentação de sst;
  • Demonstrar capacidade de observação difusa;
  • Participar do sistema de gestão ambiental;
  • Emitir parecer técnico;
  • Inspecionar implantação;
  • Mostrar impacto econômico de implantação da política;
  • Analisar a aplicação de tecnologia;
  • Formar multiplicadores;
  • Avaliar ações educativas de segurança e saúde;

Quanto ganha um Técnico em Segurança no Trabalho na região de Araras, SP

Divisões salariais com base no salário bruto no cargo e na remuneração por períodos

VALORES EM R$

Salário Mensal

Salário Anual

Salário Por Semana

Salário Por Hora

Salário Nominal
(Bruto Mensal)

Piso Salarial

3.284,47

39.413,65

821,12

15,18

Média Salarial

3.598,67

43.184,09

899,67

16,63

1º Quartil

2.452,98

29.435,77

613,25

11,34

Salário Mediana

3.500,00

42.000,00

875,00

16,18

3º Quartil

4.850,71

58.208,55

1.212,68

22,42

Teto Salarial

5.875,33

70.503,95

1.468,83

27,16

·         Piso Salarial: Média do salário base de acordos, convenções coletivas e dissídios coletivos com menções ao cargo de Técnico em Segurança no Trabalho negociados por sindicatos e registrados no MTE;

·         Média Salarial: A soma de todos os salários dividido pelo total de salários de profissionais no cargo de Técnico em Segurança no Trabalho da amostragem. Cálculo de média aritmética simples;

·         1° Quartil: Primeiro quartil é o cálculo que separa 25% dos menores salários e obtém a média salarial entre eles;

·         Salário Mediana: Mediana é o valor que mostra o salário bem ao centro da amostragem. o cálculo separa os dados de modo que 50% dos salários informados são superiores a esse nível e 50% são inferiores;

·         3º Quartil: Cálculo que separa 25% dos maiores salários e obtém a média salarial entre eles;

·         Teto Salarial: Corresponde aos maiores salários no cargo, observando-se ponderações e filtros exclusivos do nosso algoritmo de pesquisa salarial.

 

Setores que mais contratam Técnico em Segurança no Trabalho na região de Araras, SP

Lista com os segmentos de atividades econômicas das empresas com o maior número de admissões para o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho na região de Araras, SP.

Um termômetro fiel para sabermos os setores da economia com maior demanda nas contratações de profissionais para a ocupação e os salários pagos em média em cada setor.

Essa é uma estatística muito importante para um Técnico em Segurança no Trabalho que busca uma recolocação no mercado de trabalho na região de Araras, SP ou a primeira oportunidade de trabalho.

Os segmentos das empresas estão listados são de acordo com a descrição do CNAE de cadastro de cada empresa (CNAE – Classificação Nacional de Atividades Econômicas) junto à Receita Federal.

No filtro são excluídos os aprendizes e trabalhadores em regime parcial de trabalho como horistas ou intermitentes.Como funciona o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho

Profissionais no cargo de Técnico em Segurança no Trabalho participam da elaboração e implementam política de saúde e segurança do trabalho, realizam diagnóstico da situação de SST da instituição, identificam variáveis de controle de doenças, acidentes, qualidade de vida e meio ambiente. Desenvolvem ações educativas na área de saúde e segurança do trabalho, integram processos de negociação. Participam da adoção de tecnologias e processos de trabalho, investigam, analisam acidentes de trabalho e recomendam medidas de prevenção e controle.

Condições de trabalho

Técnicos em segurança do trabalho exercem suas funções em empresas dos mais diversos ramos de atividades. São contratados na condição de trabalhadores assalariados, com carteira assinada. Em geral, atuam de forma individual, sob supervisão permanente ou ocasional, em ambientes fechados, no período diurno, exercendo o trabalho de forma presencial.

O que é preciso para trabalhar de Técnico em Segurança no Trabalho

O exercício das ocupações requer formação de nível médio e curso Técnico de Segurança no Trabalho.

 

Principais funções dos Técnicos em Segurança do Trabalho

Trabalhadores no cargo de Técnico em Segurança no Trabalho devem identificar variáveis de controle de doenças, acidentes, qualidade de vida e meio ambiente, demonstrar competências pessoais, comunicar-se, investigar acidentes de trabalho, participar da elaboração da política de saúde e segurança do trabalho da instituição, implantar a política de sst, integrar processos de negociação, desenvolver ações educativas na Área de sst, realizar diagnóstico da situação de sst da instituição, participar da adoção de tecnologias e processos de trabalho.

Tabela de salários por tipo de empresa

Segmento da Empresa

Jornada

Piso Salarial

Média Salarial

Teto Salarial

Total

Instalação e manutenção elétrica

44

3.531,23

3.869,04

5.847,00

129

Construção de edifícios

44

2.891,86

3.168,50

4.788,34

73

Locação de mão-de-obra temporária

44

3.204,94

3.511,54

5.306,75

59

Limpeza em prédios e em domicílios

44

3.903,72

4.277,16

6.463,77

24

Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas

42

3.093,47

3.389,40

5.122,17

19

Administração de obras

44

2.462,41

2.697,98

4.077,26

18

Atividades de atendimento hospitalar

40

2.960,01

3.243,18

4.901,19

18

Serviços de engenharia

42

2.823,46

3.093,56

4.675,08

17

Atividades de limpeza

44

2.341,01

2.564,96

3.876,24

15

Outras atividades profissionais, científicas e técnicas

41

2.846,06

3.118,32

4.712,50

15

 

Quanto ganha um Técnico em Segurança no Trabalho por jornada de trabalho

Relação jornada de trabalho/salário. Filtro de amostragem com 693 profissionais admitidos e desligados na região de Araras, SP. A relação abrange somente Técnico em Segurança no Trabalho em regime integral de trabalho. Ideal para sabermos exatamente o salário por hora do profissional.

Cálculo de acordo com a carga horária mensal e salário

Total

Jornada

Ref.

Salário Mensal

Salário Hora

566

44

220

3.613,78

16,43

87

40

200

3.535,36

17,68

24

42

210

3.719,64

17,71

6

43

215

3.390,51

15,77

4

41

205

4.149,67

20,24

2

39

195

3.662,71

18,78

Salários na carreira por nível profissional e porte da empresa

Um Técnico em Segurança no Trabalho Nível I ganha em média R$ 3.452,73, o Nível II recebe cerca de R$ 3.974,89, já o Nível III tem uma média salarial de R$ 5.967,23 mensais de acordo com pesquisa do Salario.com.br junto aos dados oficiais do CAGED de profissionais demitidos no mercado de trabalho.

Salário por porte da empresa

Esse levantamento mostra a faixa salarial em que se encontra o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho na região de Araras de acordo com o porte da empresa. Os segmentos são: MEI – Micro Empreendedor Individual, micro empresa, pequena empresa, média empresa e grande empresa. Veja como é feita essa divisão:

  • MEI: permitido no máximo 1 funcionário;
  • Micro: até 19 funcionários;
  • Pequena: 20 a 99 funcionários;
  • Média: 100 a 499 funcionários;
  • Grande: mais de 500 empregados, seja comércio, serviços ou indústria.

Salário por nível profissional

Aqui buscamos listar a remuneração do cargo de Técnico em Segurança no Trabalho de acordo com o nível de experiência do profissional na empresa até sua demissão. Veja como é feita a listagem:

  • *Técnico em Segurança no Trabalho Nível I: até 4 anos;
  • *Técnico em Segurança no Trabalho Nível II: de 4 a 6 anos;

Metodologia: Salários de 295 profissionais demitidos das empresas na região de Araras, SP.

Porte da Empresa

Nível I

Nível II

Nível III

Micro

3.429,49

3.690,57

4.686,74

Pequenas

3.697,46

3.958,54

4.954,71

Médias

3.507,09

3.768,17

4.764,33

Grandes Empresas

3.573,10

3.834,17

4.830,34

*Os salários de Técnico em Segurança no Trabalho Nível 1, Nível 2 e Nível 3 no cargo são referentes somente ao histórico do profissional naquela empresa até ser demitido. Esses dados não levam em consideração a vida profissional completa no cargo, por isso o salário de um Técnico em Segurança no Trabalho Nível 1 pode ser maior que um Nível 3 por exemplo. Geralmente quando a amostragem de salários na pesquisa é maior isso tende a se estabilizar estatisticamente.

  • *Técnico em Segurança no Trabalho Nível III: acima de 6 anos na empresa até sua demissão;

 

Piso Salarial 2021

O valor do piso salarial 2021 de Técnico em Segurança no Trabalho na região de Ararass, SP é de R$ 3.284,47 para uma jornada de trabalho de 43 horas por semana.

O valor do salário base, bem como o percentual de reajuste salarial 2021 é homologado por acordo, convenção coletiva ou dissídio dos Técnicos em segurança do trabalho pelo sindicato.

valor do piso salarial mostrado aqui é a média ponderada do salário normativo retirada de acordos coletivos que foram registradas no MTE, calculado em conjunto com o salário em locais próximos com maior número de contratações para chegar ao valor final.

Na grande maioria dos casos, esse cálculo se aproxima muito do salário base da categoria para o cargo CBO 3516-05.

Calculamos dessa forma para que os dados não sejam afetados por dados de contratações de Técnicos em segurança do trabalho em locais que não hajam sindicatos regionais para negociações salariais com sindicatos patronais.

Salário para PCDs no cargo

De acordo com a pesquisa com 13 salários de pessoas com deficiência no cargo de Técnico em Segurança no Trabalho, a média salarial na região de Araras-SP é de R$ 3.409,84 para uma jornada de trabalho de 43 horas semanais em média.

O salário médio aqui mostrado não difere o tipo de deficiência do trabalhador, podendo esta ser permanente, até mesmo um trabalhador readaptado que retorna de afastamento do trabalho pelo INSS.

 

Resumo para quem quer cursar o Técnico em Segurança do Trabalho

Perfil profissional de conclusão

O Técnico em Segurança do Trabalho será habilitado para:

  • Elaborar e implementar políticas de saúde no trabalho, identificando variáveis de controle e ações educativas para prevenção e manutenção da qualidade de vida do trabalhador.
  • Desenvolver ações educativas na área de saúde e segurança do trabalho.
  • Investigar, analisar e recomendar medidas de prevenção e controle de acidentes.
  • Realizar estudo da relação entre ocupações dos espaços físicos com as condições necessárias.
  • Promover a saúde e proteger a integridade do trabalhador em seu local de atuação.
  • Analisar os métodos e os processos laborais.
  • Identificar fatores de risco de acidentes do trabalho, de doenças profissionais e de trabalho e de presença de agentes ambientais agressivos ao trabalhador.
  • Realizar procedimentos de orientação sobre medidas de eliminação e neutralização de riscos.
  • Elaborar procedimentos de acordo com a natureza da empresa.
  • Promover programas, eventos e capacitações de prevenção de riscos ambientais.
  • Divulgar normas e procedimentos de segurança e higiene ocupacional.
  • Indicar, solicitar e inspecionar equipamentos de proteção coletiva e individual contra incêndio.
  • Levantar e utilizar dados estatísticos de doenças e acidentes de trabalho para ajustes das ações prevencionistas.
  • Produzir relatórios referentes à segurança e à saúde do trabalhador.

.
DURAÇÃO: 18 MESES (divididos em 3 módulos de 6 meses). 

MÉDIA SALARIAL: R$ 3.598,67 

CAMPO DE ATUAÇÃO: Indústrias e Comércio – Construção Civil – Hospital – Empresas – Empresas Estatais – Empresas Mineradoras – Empresas de Extração – Agroindústrias – Portos – Aeroportos – Centrais de Logística – Empresa e consultorias para capacitação em Segurança do Trabalho.

Pré-requisitos para ingresso

Para ingresso no Curso Técnico Subsequente, o estudante deverá ter concluído o Ensino Médio.

Para ingresso no Curso Técnico Concomitante, o estudante deverá estar cursando o Ensino Médio.

Para ingresso no Curso Técnico Integrado ao Ensino Médio, o estudante deverá ter concluído o Ensino Fundamental.

Para ingresso no Curso Técnico Integrado à Educação de Jovens e Adultos, o estudante deverá ter concluído o Ensino Fundamental.

 

Legislação profissional

Portaria MTE nº 262/2008

BRASIL. Portaria MTE nº 262/2008. Dispõe sobre o registro profissional do Técnico de Segurança do Trabalho. Diário Oficial da União. Brasília, 29 de maio de 2008.

PORTARIA Nº 3.275, DE 21 DE SETEMBRO DE 1989

BRASIL. Portaria MTE nº 3.275/1989. Define as atividades do Técnico de Segurança do Trabalho. Diário Oficial da União. Brasília, 22 de setembro de 1989.

LEI No 7.410, DE 27 DE NOVEMBRO DE 1985.

BRASIL. Lei nº 7.410/1985. Dispõe sobre a especialização de Engenheiros e Arquitetos em Engenharia de Segurança do Trabalho e a profissão de Técnico de Segurança do Trabalho. Diário Oficial da União. Brasília, 28 de novembro de 1985.

DECRETO Nº 92.530, DE 9 DE ABRIL DE 1986.

BRASIL. Decreto nº 92.530/1986. Dispõe sobre a especialização de Engenheiros e Arquitetos em Engenharia de Segurança do Trabalho e a profissão de Técnico de Segurança do Trabalho. Diário Oficial da União. Brasília, 09 de abril de 1986.